29.12.13

Dois livros de Carrère

Não tinha gostado tanto assim de Um romance russo, primeiro livro que li do escritor e também cineasta Emmanuel Carrère. Pareceu-me um pouco longo e arrastado. Algumas partes, como o namoro dele, do próprio Carrère, que é o personagem do livro, com a moça sem muita instrução, que não lembro agora o nome, até que é legal e meio confusa (apesar de não ter muita instrução, ela parece ter outras qualidades), mas aquela história de fazer um documentário na Rússia, pelo que lembro, não me interessou. Na verdade, não sei se cheguei a terminar o livro, acho até que abandonei nas últimas páginas. Mas agora li Férias na neve, enquanto esperava passar o Natal, e gostei muito. É um livro, digamos, de terror infantil. A história é bem simples, se passa em uma colônia de férias que dura uns dez dias, e o livro é curtinho, menos de 150 páginas. A leitura flui que é uma beleza, renovada por capítulos curtos também, e cenas bem condensadas. O que mais me chamou a atenção é a maneira como o autor consegue construir cenas de absoluto terror em situações coloquiais, quase banais. A única coisa que não me convenceu muito é o fato de Nicolas, o protagonista meio atormentado, já ter repetido de ano, portanto hipoteticamente ser um ano mais velho que seus demais colegas, e mesmo assim continuar sendo o aluno frágil da turma. Pra quem lê rápido, creio que consegue ler em uma tarde, pois além do mais o livro tem certo tom de mistério que mantém o leitor curioso. Enfim, é um belo livro.



Nenhum comentário: